Se você tem o sentimento de que sua vida está travada, sem movimento, de que você está perdida ou confusa ou ainda que as coisas não andam na velocidade que você gostaria, não é sua culpa. 

Existe um conceito psicológico poderoso que explica por que definir e perseguir grandes objetivos parece assustador: o medo do fracasso no nosso cérebro é duas vezes maior do que o nosso desejo de sucesso. 

Em outras palavras, a gente tem tanto medo de perder, errar ou fracassar que muitas vezes simplesmente nem tentamos vencer.

Aliás, se você quiser ver este conteúdo em video, é só clicar na imagem abaixo:

As perdas têm um efeito duas vezes mais poderoso em nosso cérebro do que um ganho de tamanho igual. 

E nosso cérebro esta programado para fazer de tudo para evitar uma perda potencial, mesmo que a gente tenha as mesmas chances de sucesso.

Nós não fomos criados para vencer, mas sim para sobreviver.

É por isso que pode ser assustador lutar por grandes objetivos. 

É por isso que a gente não corre riscos por sucessos maiores. 

É por isso que a gente joga pequeno. 

É por isso que nossa vida fica travada. 

Tá let, mas então, como a gente faz para destravar nossa vida?

Primeiro, a gente precisa entender que na verdade nossa vida não está travada, nós simplesmente não conseguimos enxergar que para algo mudar, é preciso sair da zona de conforto e ir para a zona do medo.

O que é a zona de conforto?

A ideia de zona de conforto está enraizada em pesquisas conduzidas pelos psicólogos Robert M. Yerkes e John Dillingham Dodson a partir de 1908. Juntos, eles desenvolveram a Lei Yerkes-Dodson, que afirma que o desempenho aumenta à medida que o estresse aumenta e o desempenho diminui à medida que o estresse diminui.

Ou seja, sem stress não há aumento de desempenho.

Por outro lado, a certa altura, altos níveis de estresse inibem o desempenho. Por isso, é preciso dosar.

Sair da nossa zona de conforto e nos desafiar a crescer traz uma série de benefícios para nossa vida.

Mas a gente precisa entender que depois da zona de conforto, vem a zona do medo… Depois da zona do medo vem a zona de aprendizagem e que só depois da zona de aprendizagem vem a zona de crescimento.

E é sobre estas quatro zonas que zoneiam nossa vida que eu vou falar aqui hoje pra você.

Quando a gente decide sair da zona de conforto e entra na zona do medo encontramos novos desafios:

  • o medo do fracasso, 
  • o medo da rejeição
  • o medo de não ser boa o suficiente
  • o medo social
  • o medo de se mexer
  • ou ainda… o medo do sucesso 

O medo do fracasso

O Medo do fracasso acontece quando não desejamos decepcionar família ou amigos. É quando temos medo de não dar certo, de fracassar, de não ser capaz de nos responsabilizar ou ainda o medo do mundo mudar, de surpresas ou imprevistos acontecerem pelo caminho. Pode apostar, eles vão acontecer porque a vida é assim. O medo do fracasso acontece quando a gente percebe que  prefere não tentar do que falhar, quando temos medo de tomar riscos, medo de testar nosso limites, ou ainda quando o que queremos é tão importante que precisamos estar 100% preparadas para isso. E nunca estamos!

O medo do rejeição

Já o medo da rejeição vem quando temos receio de não sermos aceitas pelo grupo, de sermos criticadas ou excluída. Ele aparece quando mantemos amizades que não valem a pena, quando fazemos o que não queremos para agradar ou ainda quando temos a sensação de que as outras pessoas sempre sabem mais do que nós. Quando ele aparece, temos medo de provarem que estavamos errada, medo de fazer coisas que as pessoas não vão aprovar e assim acabamos sendo aquele cavaleiro preso na armadura, sendo fofa e amorosa o tempo todo com todo mundo. Só que um dia a armadura enferruja e a gente acaba ficando presa dentro dela.

O medo de não ser boa o suficiente

Já o medo de não ser boa o suficiente vem do fato da gente acreditar que não vai dar conta de tudo, de não saber priorizar, medo de não ter o conhecimento ou de não merecer. É quando a gente precisa de tudo organizado antes, precisa ter todas as informações, as coisas precisam ser feitas em ordem ou ainda quando acreditamos que nossa história de vida (background, educação e status) não nos permitem fazer ou viver algo. Esse medo gera falta de autoconfiança e a certeza (errada) de que as outras pessoas são sempre melhores do que nós.

O medo social

Já o medo social atua diretamente com nosso ato de interagir, falar em publico, não saber dizer não, medo de fazer inimigos, desagradar, não se encaixar, não se enquadrar ou de não poder confiar em ninguém. Aqui também a gente começa a centralizar tudo acreditando que ninguém é bom como nós (a real é que a gente simplesmente não sabe delegar). Neste medo, vez ou outra preferimos guardar nossa opinião para nós mesmas do que nos indispor com pessoas. Também guardamos nossos sonhos e desejos a sete chaves porque sabemos que ao compartilhá-los com alguém, teremos que nos mexer. O medo social também traz o receio de nos aproximar de pessoas para não correr o risco de sermos abandonadas, enganadas ou traídas. E assim, seguimos na zona de conforto, sozinhas, assistindo netflix e comendo pipoca em uma noite de sábado.

O medo do sucesso

E o que dizer do medo do sucesso? Pois é. O medo do sucesso é um fenômeno psicológico no qual experimentamos ansiedade ou resistência em relação ao alcançar o sucesso em nossas metas ou realizações.  Ele Pode ser desencadeado por várias razões, como o medo da responsabilidade adicional que o sucesso pode trazer, o medo da mudança ou da exposição ao público, ou até mesmo preocupações inconscientes sobre a própria autoimagem e autovalorização.

O medo de se mexer

Por último, o medo de se mexer. Esse medo é o que nos faz continuar debaixo das cobertas quentinhas da nossa zona de conforto, vivendo naquele papel de vitima delicinha, responsabilizando os outros pela nossa inercia, não enxergando os recursos que temos, ignorando nossa historia de vida, sem saber onde estamos em nossa jornada e acreditando que há sempre circunstâncias acima do nosso controle (pessoas, localidade, políticos, o sistema, o mundo!)! Aqui, ficamos naquele lugarzinho onde dizemos que nossa vida sempre foi mais difícil, em que coisas ruins sempre acontecem quando tentamos ou ainda quando não temos força para ir em direção aos nossos sonhos sozinhas.

E ai? Se identificou com alguma coisa do que eu falei ai?

Nem tudo o que a gente deseja alcançar na vida será fácil. Ao sair da nossa sua zona de conforto rumo à zona de crescimento, somos capaz de fazer exatamente isso: crescer. Nos tornamos mais produtivos, realizamos mais e alcançamos as metas que estabelecemos para nós mesmas… se estivermos dispostas a trabalhar.

Tá let, mas depois da zona do medo ainda tem a zona de aprendizado, certo? Exatamente.

A “zona de aprendizado” se relaciona com o processo de aprendizagem contínua ao longo da vida. Essa jornada envolve a ideia de que o aprendizado não é um evento isolado, mas sim um processo contínuo de descoberta, compreensão e crescimento.

A “zona de aprendizado” é o espaço onde ocorre o desenvolvimento e a aquisição de novas habilidades, conhecimentos e competências. É o lugar onde nos sentimos desafiados, mas não sobrecarregados, e onde têmos a oportunidade de expandir nossos horizontes intelectuais.

Essa zona é crucial para o crescimento pessoal e profissional, pois é onde somos estimuladas a não voltar mais para nossas zonas de conforto e a nos envolver em atividades que nos desafiam a pensar de maneiras novas e criativas.

É neste espaço que aumentamos nossa autoconfiança, expandimos nosso mundo, conhecemos pessoas novas, lugares novos, experiências novas.

Tudo isso nos ajuda a expandir nossa consciência do mundo e de como nos  enquadramos nele, trazendo para nós novos interesses ou áreas de estudo que desejamos explorar.

Na zona de aprendizado também construimos resiliência. E é essa resiliência que nos ajuda a ter mais confiança em como lidar com fracassos ou contratempos, nos deixando confortáveis mesmo em situações com níveis crescentes de estresse, ansiedade e incerteza.

Na zona de aprendizado aprendemos mais sobre nós mesmas e ganhamos mais controle sobre como desejamos que nossa vida seja e o que desejamos fazer com ela.

E só ai estamos prontas para entrar na zona de crescimento!

Mais uma vez, a gente precisa do stress para expandir. Como humanos, estamos preparados para a sobrevivência e, naturalmente,a gente corre de ameaças sempre que pode.

Esta é uma das razões pelas quais é tão difícil sair da nossa zona de conforto.

Mas se o objetivo aqui é chegar à zona de crescimento, o stress é inevitável.

E vou te contar um segredo, que é a melhor notícia de todo esse conteudo: a tal de missão de vida, propósito e sonhos sobre os quais a gente nem sempre tem muita clareza estão exatamente ai! Por isso que tanta gente não consegue enxergar! Como é que a gente vai olhar pra tudo isso lá do sofazinho da zona de conforto?

Agora conta pra mim: vale ou não vale a pena sair da zona de conforto?

Se você tem interesse em fazer essa jornada comigo, seja de forma autônoma ou ainda através da psicoterapia em um passo-a-passo unico que inclui conhecimenros de psicologia analítica, astrologia, tarot e alquimia, eu te convido a saber mais aqui.


Se esse conteúdo fez você refletir sobre sua posição neste momento ou ainda te motivou a encarar a zona do medo, rumo ao aprendizado e ao crescimento, compartilhe com alguém que você ama e que está precisando de um empurrãozinho nesse momento.

E assim, seguimos juntas em busca de uma vida extraordinária.