Skip to content →

Bio

Minha infância no Brasil foi cadenciada pelo fechar das malas feitas e desfeitas por meus pais. Durante sua ausência, era nos livros que eu buscava companhia. Aos poucos, comecei a escrever em diários com pequenos cadeados dourados. Naquelas páginas descobri que podia escrever os sentimentos que não falava para ninguém. Ser uma escritora tornou-se o meu destino.

Se por um lado, eu cresci mostrando a imagem de uma mulher forte e independente, era nos meus textos que colocava toda a fragilidade que havia em mim.

Meu primeiro livro, “Uma Janela Para Nove Irmãos“, publicado em 2013 no Brasil, conta a história de minha avó narrada pela casa onde ela viveu. Em 2014, como para preencher as lacunas da minha infância, eu escrevi um espetáculo de teatro e livro infantil que fala da ausência dos pais, intitulado “O Príncipe dos Porquês“. No mesmo ano, saí do Brasil e fui morar no Canadá. Neste novo país, busco a coragem para finalmente dar voz a coisas que habitam meu mundo interior, agora em francês.

Meu primeiro projeto é um espectáculo de teatro intitulada “Código 61”, que será apresentado no MAI (Montreal, Arts Interculturels) em setembro.

 


O que dizem…

 

[Uma janela para nove irmãos] “é um livro que recomendo sem cerimônia. Letícia conseguiu derrubar minhas barreiras contra autores nacionais. Impossível chegar à última página sem ao menos esboçar um mínimo de emoção”.

Dicas de Gramado (Fevereiro/2014)

 

[Uma janela para nove irmãos]  “Aconteça o que for, graças a Letícia, as memórias íntimas desta casa – e dos seus moradores – servem agora à história de todos nós”.

Araci Queiroz é jornalista (julho/2013)

 

A resposta das crianças em relação à peça e ao livro [O príncipe dos porquês] são imediatas”.

Jornal Integração (maio/2014)